Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

Em busca da convergência

Artigo - Ricardo Hausmann Em busca da convergência Para o economista de Harvard Ricardo Hausmann, países só conseguem crescer de forma substancial se forem competitivos nas cadeias globais de valor Ricardo Hausmann <img alt="Mulheres trabalhando em tear manual em fábrica de roupas na região de Sagaing, ao norte de Mianmar" height="336" src="http://veja2.abrilm.com.br/assets/images/2012/3/69158/mianmar-cotidiano-20120224-22-size-598.jpg" title="Mulheres trabalhando em tear manual em fábrica de roupas na região de Sagaing, ao norte de Mianmar" width="598" /> Mulheres trabalhando em tear manual em fábrica de roupas na região de Sagaing, ao norte de Mianmar (AFP/VEJA) Um quebra-cabeça da economia mundial é que, durante 200 anos, os países ricos do mundo cresceram mais rapidamente que os países mais pobres — um processo adequadamente descrito por Lant Pritchett como …

“Sociedade Lixo”

Enviado em 29/08/2014 às 20h13 “Sociedade Lixo” DIÁRIO DA MANHÃ RENATO BINOTO
Poderíamos ser taxados como “sociedade lixo”, pela forma que dispomos o nosso resíduo gerado, ou mesmo pela era industrial em que vivemos que é altamente geradora de produtos de baixa durabilidade? Inicialmente, se faz importante destacar que a logística reversa não é sinônimo de gerenciamento de resíduos sólidos, e sim, um meio viabilizador da sistemática de coleta e destinação adequada para reciclagem, reuso ou mesmo disposição final em aterros sanitários A logística reversa se subdivide em canais de pós-venda e pós-consumo, ou seja, canais de pós-venda estão associados à fidelização de clientes, feedback, processos de garantia e necessidade de troca atrelado ao mercado consumidor, recall de veículos quando necessário e, propriamente, outras atividades que demandam um fluxo de retorno para suporte ou reparo. Já em se tratando de canais de pós-consumo, este canal se fortaleceu com a chegada da Lei Federal …

Minas-Rio prevê exportação em 2014, mas Ibama ainda avalia licenças

29/08/2014 20h29 - Atualizado em 29/08/2014 20h32 Minas-Rio prevê exportação em 2014, mas Ibama ainda avalia licenças Faltam quatro licenças ambientais; Ibama não deu prazo para avaliação.
Teste de transporte do minério de ferro até o Porto do Açu foi domingo (24).
Do G1 Norte Fluminense


Chegada do minério de ferro no Porto do Açu (Foto: Divulgação/AngloAmerican)

A empresa britânica Anglo American, responsável pelo projeto Minas-Rio, espera iniciar as exportações de minério de ferro pelo Porto do Açu, em São João da Barra, no Norte Fluminense, até o final de 2014. Mas a empresa, detentora de 49% das participações no porto, ainda precisa de quatro licenças ambientais para que as operações começem: a licença de operação da mina, do beneficiamento, da atividade do mineroduto e, após todas essas licenças obtidas, a licença de linha de transmissão para alimentar as bombas que vão impulsonar o material até o porto. O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), está avaliando os pedidos de l…

ENTREVISTA-Correios pavimenta internacionalização e quer foco em logística e serviços

ENTREVISTA-Correios pavimenta internacionalização e quer foco em logística e serviços sexta-feira, 29 de agosto de 2014 21:45 BRT Imprimir [-Texto [+]




Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos se prepara para ser uma multinacional e estrear nos Estados Unidos e na China até 2015, como parte do plano para diversificar receitas, disse o presidente da estatal federal, Wagner Pinheiro. De olho no avanço de concorrentes no mercado doméstico de encomendas, a maior empresa de logística da América Latina está perto de estrear projetos que incluem forte ampliação de serviços financeiros e de telefonia e expansão para fora do país. "Vamos colocar empresa no cenário mundial", disse à Reuters o executivo. O primeiro resultado dessa estratégia deve vir dos Estados Unidos, para onde a companhia destacou três executivos para prospectar oportunidades. O objetivo é comprar um negócio local, inicialmente para atender a comunidade de brasileiros no…

As 50 empresas mais inovadoras do Brasil

As 50 empresas mais inovadoras do Brasil Boticário, NetShoes e Chilli Beans lideram o ranking de inovação segundo a percepção do consumidor Redação, Administradores.com, 29 de agosto de 2014, às 9h30
WikiCommons
Uma recente pesquisa realizada no Brasil mostra as 50 empresas mais inovadoras presentes no país. Analisadas de um total de 500 companhias em diferentes setores, suas práticas foram avaliadas e, da forma como ela é percebida pelo público, além de suas práticas e modelos de negócio, foram catalogadas. A rede de cosmético Boticário foi a primeira colocada segundo os dados da companhia de consultoria nacional DOM Strategy Partners. Liderando o ranking de inovação atrás d'O Boticário, estão nomes, NetShoes e Chilli Beans. A qualificação de valor produzido pela inovação das marcas foram analisadas a partir da percepção dos clientes e usuários, beseados nos ponteciais de inovar através da adequação, incremento e ruptura. “Uma boa ideia não é suficiente. Ela precisa criar valor -…

Consumo de eletricidade na indústria cai 6,9% em julho, aponta EPE

EconomiaHoje às 19h39 Consumo de eletricidade na indústria cai 6,9% em julho, aponta EPE
+A-AImprimir PUBLICIDADE O consumo de eletricidade nas indústrias caiu 6,9% no país no mês de julho, em comparação a igual período do ano passado. O dado foi divulgado hoje (29) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), na Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica. De acordo com a EPE, as principais causas da queda no consumo das indústrias foram ocenário externo desfavorável, a redução na demanda doméstica e a influência da Copa do Mundo sobre o funcionamento das indústrias, com menor número de horas trabalhadas. Em contrapartida, segundo a EPE, a sobra de energia gerou oportunidades para a venda do excedente de energia no mercado interno. O setor metalúrgico apresentou uma das maiores retrações no consumo de eletricidade, com destaque para o estado de São Paulo, onde o segmento apresentou queda de 37% em julho. A indústria automotiva consumiu menos 17,7% de energia, resultado da diminuição de 21…

Armazéns chineses abarrotados de milho derrubam preços mundiais

Armazéns chineses abarrotados de milho derrubam preços mundiaisSexta, 29 Agosto 2014 01:10Portos e Logística À medida que a colheita de setembro se aproxima, o país caminha para registrar outra safra abundante pelo 11º ano seguido. Mas a produção é excessiva, mesmo para o país mais populoso do mundo, criando um dilema para os legisladores. Estimativas da mídia estatal afirmam que o governo está diante de 150 milhões de toneladas de grãos, incluindo os três mais importantes produtos da China: arroz, trigo e milho. É o dobro das 75 milhões de toneladas do ano passado, provocando um superabastecimento que está derrubando os preços. "As autoridades da China sempre falam numa colheita enorme", diz Fred Gale, economista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o USDA. "Soa como uma coisa boa, já que estavam preocupados em atender a demanda. Mas, agora, a China parece às voltas com excedentes de todas as suas commodities." A abundância de grãos está sendo enalte…