Pular para o conteúdo principal

Gerenciamento Logístico


As metas da logística são disponibilizar o produto certo, na quantidade certa, no momento certo, na quantidade certa, nas condições adequadas, para o cliente certo, ao preço justo.

A demanda de mercado, serviços ao cliente, transporte e preço competitivo devem ser plenamente entendidos para que a estrutura da cadeia de suprimentos seja efetiva. Isto é, esses são os pontos que uma organização deve levar em consideração para estruturar sua cadeia de suprimentos. Segundo Dornier et al (2000).

As dificuldades da gestão da cadeia de segundo Dornier et al (2000), as dificuldades da gestão da cadeia de suprimentos podem ser devidas a alocação descoordenada e fragmentada de responsabilidades das diversas atividades da cadeia para diferentes áreas funcionais. Considera como essência da gestão da cadeia, a visão desta como integradora e coordenadora das atividades de produção e logística.

O gerenciamento logístico compreende um conjunto grande de atividades que são executadas por diversos agentes ao longo da cadeia completa de conversão da matéria-prima em produtos finais para os clientes. Essas atividades são executadas em locais diferentes, em tempos diversos, o que aumenta muito a complexidade de sua gestão. Essas relações de troca são realizadas através de diversas decisões e ações. São relações dinâmicas que refletem continuamente as reações de todos os grupos aos estímulos provocados pelo próprio ambiente de negócios e aos movimentos estratégicos dos outros agentes:

Gerência de estoques: agrega o “valor tempo” ao produto, ou seja, coloca o produto disponível no momento da necessidade.

Gerência de transportes: agrega o “valor lugar” ao produto, ou seja, o produto é colocado no local onde é necessário.

Gerência de informações: agrega o “valor acompanhamento do processo” ao produto; trata-se da coleta, processamento e transmissão das informações relativas aos pedidos dos clientes, internos e externos, e de todas as informações sobre produção e despacho para os clientes.

Em termos de custo s processos de planejar, programar e controlar de maneira eficiente e eficaz matérias-primas, estoques em processo, produtos acabados e informações correlatas, e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associados, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o propósito de obedecer às exigências dos clientes. Efetua o planejamento da distribuição (Centro de Distribuição Central e Regional, depósito local, atacadista, varejista, revendedor, loja, representante, etc.) a partir dos pedidos, define as modalidades (rodoviário, ferroviário, aéreo, marítimo e fluvial) e rotas (com utilização de roteirizadores) de transporte (próprio ou de terceiros), sendo responsável desde a expedição, a partir da retirada dos estoques, até a entrega ao cliente final (consumidor).

Um brainstorming sobre o que se pode conseguir com uma estratégia de nicho é o resultado desse processo de estabelecimento da visão e estratégia corporativa é concretizada à medida que produção, marketing, finanças e logística dão continuidade aos planos elaborados para cumpri-lo. É indispensável um entendimento geral de quais são as metas mais importantes: realizações de lucros, retorno do investimento, participação no mercado ou crescimento. É provável que ocorra um processo de estabelecimento da visão, no qual estratégias não convencionais, desconhecidas e até mesmo aparentemente sem sentido serão levadas em consideração.  

Níveis de planejamento

Saber onde desejamos chegar trará uma visão mais ampla e clara do que e como devemos planejar os nossos processos, para poder chegar ao destino certo conforme estabelecido pela nossa Meta. É considerado como sendo de longo alcance, no qual o horizonte de tempo é maior do que um ano. Envolve um horizonte de tempo intermediário, geralmente menos de um ano. É a tomada de decisão de curto prazo, frequentemente feita em base por hora ou diárias. A preocupação é como movimentar produtos de maneira eficaz e eficiente através do canal logístico planejado.

O planejamento do Sistema de informação: O mercado oferta cada vez mais um número maior de “soluções informatizadas” para os processos logísticos, por este motivo é de grande importância conhecer os processos que envolvem as operações de sua empresa antes de comprar um software. A falta de colocar todos os processos de forma detalhada, compromete o sucesso da implementação, gerando muitas vezes transtornos e situações desagradáveis como as conhecidas customizações no sistema.

Localização das Instalações: Influencia o recebimento e distribuição dos produtos. A empresa deve definir o(s) modal (is) de transporte, armazenagem e distribuição que pretende utilizar. Uma boa localização possibilita a implantação de ferramentas logísticas que reduzem material em estoque e espaço físico, proporcionando redução significativa de custo nestes processos.

 O planejamento de Suprimentos: Definir o que estocar e quanto estocar, caracterizam o início de um ciclo da cadeia logística e tem como elementos: reduzir os tempos de fornecimento de materiais, receber produtos de melhor qualidade, reduzir os estoques, ter produtos sempre que necessário saber a previsão de demanda, efetuar o planejamento das necessidades (materiais e recursos), desenvolvimento de novas fontes de fornecimento, compras e seus respectivos controles.

O planejamento da Armazenagem: Serve para lidar com as incerteza e flutuações que por ventura podem acontecer. Porém algumas atividades são de suma importância para os processos de uma armazenagem consciente como; compreensão das operações e do tempo, recebimento de produtos, estocagem dos produtos, manutenção da acuracidade dos produtos estocados, embalagem, processamento de pedidos, treinamento e conhecimento dos processos por parte dos colaboradores da organização, são fundamentais.

O planejamento de Transporte: A escolha do modal de transporte está diretamente ligada às necessidades da empresa, onde devemos analisar o custo, velocidade e confiabilidade. A definição entre transporte próprio ou contração de um terceiro é fundamental, pois aí pode estar o seu diferencial competitivo.

Com todos os efeitos dentro e fora do Brasil tem que se tomar providencia no gerenciamento logístico brasileiro, pois não somente devem-se visar lucros imediatos, mas sim a vida e sobrevivência da empresa.

NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO

Efeitos dos gargalos na logística e nos transportes Um grande problema que afeta o Brasil de hoje são os gargalos na logística e nos transportes

Repercute nos custos de transporte das mercadorias e, portanto, afeta o consumidor.

•Impacta fisicamente nos fluxos das cargas – da origem ao destino – nos diversos modais, dada às dificuldades da intermodalidade.

•Encarece e perturba as atividades de importação e exportação, o que vem a diminuir e causar danos à competitividade dos produtos brasileiros no exterior.

•Aumenta a ocorrência de acidentes, o que incide em maiores gastos na saúde pública e, portanto, reduz o bem estar das famílias.

•Leva a constantes congestionamentos nas rodovias e, também, nos aglomerados urbanos e regiões metropolitanas.

•Dado o peso do sistema rodoviário, aumenta a degradação ambiental (combustível fóssil).

Identificar os requisitos chave para os serviços o que é mais valorizado pelo seu cliente Priorizar com o foco do cliente os requisitos chave.

Descobrir a desempenho do melhor fornecedor, do principal concorrente e da sua empresa. Especificações, atuação da concorrência.

Avaliar seu desempenho frente às especificações e frente desempenho do seu concorrente-gaps  

Definir objetivos para o nível de serviço

Projetar o processo logístico adequado

Definir indicadores de desempenho-gerenciamento

Definir ciclo de acompanhamento 

Referências Bibliográficas

http://ebookbrowse.com/planejamento-controle-logistico-pdf-d369067582

http://www.fiesp.com.br/logistica/ppt/wagnercolombini-110617130744-phpapp01.pdf

http://www.ie.ufrj.br/download/ApostilaLogisticaParte1.pdf

http://ogerente.com.br/novo/colunas_ler.php?canal=11&canallocal=41&canalsub2=132&id=881

ftp://ftp.cefetes.br/cursos/transportes/LeonardoCosta/Log%EDstica/04%20-%20Planejamento%20e%20Conceitos%20Fundamentais.pdf

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAFE8AF/logistica

http://www.guiadotrc.com.br/logistica/visao_sistemica.asp

http://www.administradores.com.br/comunidades/planejamento-e-controle-da-producao-na-logistica/510/

Postagens mais visitadas deste blog

Objetivos da Logística

Logística tem por objetivo planejar, colocar em operação e controlar as atividades de logística de uma empresa, utilizando as metodologias e tecnologias atualizadas de gestão e identificando oportunidades de redução de custos, aumento da qualidade dos serviços em geral e aumento da qualidade de cumprimento do prazo. O profissional sairá preparado para aperfeiçoar os processos de aquisição, armazenamento e distribuição de materiais dentro do conceito de cadeia de suprimento (supply-chain), bem como para analisar aspectos de dimensão e localização de Centros de Distribuição, visando à minimização de custos operacionais e tributários, sem perda na qualidade dos serviços, e possibilitando vantagens competitivas para a empresa.




No Brasil, o Decreto-Lei 1.598/77, em seu artigo 14 determina que: o contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos apurados para avaliação dos estoques de produtos, principa…

Gargalos Logísticos

O sentido no qual o termo "gargalo" está sendo empregado é de representar os fatores que configuram um estrangulamento, um impedimento à expansão ou desenvolvimento de alguma atividade econômica.

Os "gargalos" são todos os pontos dentro de um sistema industrial que limitam a capacidade final de produção. E por capacidade final de produção devemos entender a quantidade de produtos disponibilizados ao consumidor final em um determinado intervalo de tempo.
São vários problemas que comprometem a logística no Brasil e, consequentemente, a competitividade e eficiência tanto da indústria nacional (inviabilizando as exportações em alguns casos) quanto das filiais brasileiras de empresas multinacionais.
Os gargalos da logística inclusive já estão computados no chamado "Custo Brasil".
Os fatores e as questões socioambientais somadas às questões comerciais e econômicas apresentam-se latentes nas questões estratégicas das operações o que resulta em investimentos logísti…

20 perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego e dicas de como você pode respondê-las para se dar bem em um processo de seleção.

1. Fale sobre você.
Não existe regra. Cada entrevistador tem uma expectativa. No geral, o selecionador quer saber mais sobre a formação acadêmica do candidato, o que ele gosta de fazer (hobby), seus sonhos e expectativas. A orientação é direcionar o discurso para o âmbito profissional.
2. Quais são seus objetivos a curto prazo?
O candidato tem de pensar qual é o seu objetivo antes da entrevista. Só assim vai saber se determinada oportunidade de empregoé interessante para ele. É necessário que o profissional “entreviste” também a empresa e averigue se a proposta é significante para sua carreira.
3. Quais são seus objetivos a longo prazo?
Como em uma relação a dois, é primordial que a pessoa deixe claro quais são seus anseios na vida profissional. Para isso, é preciso ter clareza. O erro da maioria dos candidatos é a passividade, isto é, aceitar uma proposta sem saber o que é relevante para sua trajetória profissional.
4. Como você lida com as pressões do trabalho?
O candidato deve dar …