Pular para o conteúdo principal

Cipa e Sipat


CIPA - A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes é constituída de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto na Norma Regulamentadora NR5. A CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

A RESPONSABILIDADE PELA SEGURANÇA NO TRABALHO É DE TODOS!

CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. Seu objetivo é "observar e relatar as condições de risco nos ambientes de trabalho e solicitar medidas para reduzir até eliminar os riscos existentes e/ou neutralizar os mesmos..." Sua missão é, portanto, a preservação da saúde e integridade física dos trabalhadores e de todos os que interagem com a empresa (aqueles que prestam serviço para a empresa).

Cabe à CIPA investigar os acidentes e promover e divulgar o zelo pela observância das normas de segurança, bem como a promoção da Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT).

Aos trabalhadores da empresa compete indicar à CIPA situações de risco, apresentar sugestões e observar as recomendações quanto à prevenção de acidentes, utilizando os equipamentos de proteção individual (EPIs) e de proteção coletiva fornecida pelo empregador, bem como submeter-se a exames médicos previstos em Normas Regulamentadoras, quando aplicável.
Vale lembrar que a CIPA não trabalha sozinha! O seu papel mais importante é o de estabelecer uma relação de diálogo e conscientização, de forma criativa e participativa, entre gerentes e colaboradores em relação à forma como os trabalhos são realizados, objetivando sempre melhorar as condições de trabalho, visando à humanização do trabalho.

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho/CIPA visa à proteção da saúde dos trabalhadores dentro das empresas. A constituição de órgãos dessa natureza dentro das empresas foi determinada pela ocorrência significativa e crescente de acidentes e doenças típicas do trabalho em todos os países que se industrializaram. A participação dos trabalhadores nesses órgãos tem variados a depender do nível de democracia e da organização, força e poder de representação da classe trabalhadora em cada país.

No Brasil, esta participação, prevista na CLT, se restringe a CIPA, onde os trabalhadores formalmente ocupam metade de sua composição após eleições diretas e anuais.

O que é CIPA?

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho, das condições do ambiente do trabalho e de todos os aspectos que afetam sua saúde e segurança. A CIPA é regulamentada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) nos artigos 162 a 165 e pela Norma Regulamentadora 5 (NR-5), contida na portaria 3.214 de 08.06.78 baixada pelo Ministério do Trabalho.

Qual objetivo da CIPA?

O objetivo básico da CIPA é fazer com que empregadores e empregados trabalhem conjuntamente na tarefa de prevenir acidentes e melhorar a qualidade do ambiente de trabalho. Confira a seguir quais as principais atribuições de uma CIPA, requisitos para sua formação e modo de funcionamento.

Como a CIPA é formada?

A organização da CIPA é obrigatória nos locais de trabalho seja qual for sua característica - comercial, industrial, bancária, com ou sem fins lucrativos, filantrópica ou educativa e empresas públicas - desde que tenham o mínimo legal de empregados regidos pela CLT conforme o quadro 1 da NR-5. A CIPA é composta por representantes titulares do empregador e dos empregados e seu número de participantes deve obedecer às proporções mínimas na NR –5.

Quanto ao registro da CIPA?

A empresa deve solicitar ao órgão do Ministério do Trabalho o registro da CIPA através de requerimento, juntando cópias das atas de eleição, instalação e posse com o calendário anual das reuniões ordinárias e o livro de atas com o termo de abertura e as atas acima mencionadas transcritas.

O requerimento e as cópias das atas datilografadas devem ser em duas vias, sendo que uma via será devolvida protocolada pelo agente fiscalizador. O registro deve ser feito no prazo máximo de dez dias após a data da eleição. Comunicada a DRT, uma cópia protocolada deve ser enviada ao setor responsável pela segurança do trabalho na empresa. Após ter sido registrada na DRT, a CIPA não pode ter o seu número de representantes reduzidos nem pode ser desativada antes do término do mandato, ainda que haja redução de empregados na empresa.

Do processo eleitoral?

Os representantes do empregador são designados pelo próprio, enquanto que os dos empregados são eleitos em votação secreta representando, obrigatoriamente, os setores de maior risco de acidentes e com maior número de funcionários. A votação deve ser realizada em horário normal de expediente e tem que contar com a participação de, no mínimo, a metade mais um do número de funcionárias de cada setor. A lista de votação assinada pelos eleitores deve ser arquivada por um período mínimo de três anos na empresa. A lei confere a DRT, como órgão de fiscalização competente, o poder de anular uma eleição quando for constatado qualquer tipo de irregularidade na sua realização.

Os candidatos mais votados assumem a condição de membros titulares. Em caso de empate, assume o candidato que tiver maior tempo de trabalho na empresa. Os demais candidatos assumem a condição de suplentes, de acordo com a ordem decrescente de votos recebidos. Os candidatos votados não eleitos como titulares ou suplentes devem ser relacionados na ata da eleição, em ordem decrescente de votos, possibilitando uma futura nomeação. A CIPA deve contar com tantos suplentes quantos forem os titulares sendo que estes não poderão ser reconduzidos por mais de dois mandatos consecutivos.

Como é composta a CIPA?

A estrutura da CIPA é composta pelos seguintes cargos: Presidente (indicado pelo empregador); Vice-presidente (nomeado pelos representantes dos empregados, entre os seus titulares); Secretário e suplente (escolhidos de comum acordo pelos representantes do empregador e dos empregados).

Qual o órgão responsável pelo acompanhamento da CIPA?

Cabe ao Ministério do Trabalho, através das Delegacias Regionais do Trabalho (DRTS) fiscalizar a organização das CIPAS. A empresa que não cumprir a lei será autuada por infração ao disposto no artigo 163 da CLT, sujeitando-se à multa prevista no artigo 201 desta mesma legislação.

Qual o Mandato da CIPA?

O mandato dos membros titulares da CIPA é de um ano e aqueles que faltarem a quatro reuniões ordinárias sem justificativa perderão o cargo, sendo substituídos pelos suplentes. Não é válida, como justificativa, a alegação de ausência por motivo de trabalho. Os representantes dos empregados titulares da CIPA não podem sofrer demissão arbitrária entendendo-se como tal a que não se fundamentar em motivo disciplinar, técnico ou econômico. Esta garantia no emprego é assegurada ao cipeiro desde o momento em que o empregador tomar conhecimento da sua inscrição de candidatos às eleições da CIPA e prolonga-se até um ano após o término do mandato. Os cipeiros não podem também ser transferidos para outra localidade a não ser que concordem expressamente. A reeleição deve ser convocada pelo empregador, com um prazo mínimo de 45 dias antes do término do mandato e realizada com antecedência de 30 dias em relação ao término do atual mandato. Os membros da CIPA eleitos e designados para um novo mandato serão empossados automaticamente no primeiro dia após o término do mandato anterior.

Quais as atribuições da CIPA?

• Investigar e analisar os acidentes ocorridos na empresa.

• Sugerir as medidas de prevenção de acidentes julgadas necessárias por iniciativa própria ou sugestão de outros empregados e encaminhá-las ao presidente e ao departamento de segurança da empresa.

• Promover a divulgação e zelar pela observância das normas de segurança, ou ainda, de regulamentos e instrumentos de serviço emitidos pelo empregador.

• Promover anualmente a Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT).

• Sugerir a realização de cursos, palestras ou treinamentos, quanto à engenharia de segurança do trabalho, quando julgar necessário ao melhor desempenho dos empregados.

• Registrar nos livros próprios as atas de reuniões ordinárias e extraordinárias e enviar cópia ao departamento de segurança.

• Preencher ficha de informações sobre situação da segurança na empresa e atividades da CIPA e enviar para o Ministério do Trabalho. Preencher ficha de análise de acidentes. Deve ser enviada cópia de ambas as fichas ao departamento de segurança da empresa. O modelo destas fichas pode ser encontrado em qualquer DRT.

• Elaborar anualmente o Mapa de Riscos da empresa.

Qual tarefa dos cipeiros eleitos?

O presidente da CIPA deve coordenar todas as atribuições citadas anteriormente. Ele deve presidir as reuniões e é responsável pela convocação dos cipeiros. Pode determinar tarefas aos membros da comissão, isoladamente ou em grupos de trabalho. Além disso, deve promover o bom relacionamento da CIPA com o departamento de segurança e com os demais setores da empresa. O vice-presidente, por sua vez, deve executar as atribuições que lhe forem delegadas e substituir o presidente em suas faltas ocasionais. Ao secretário da CIPA, cabe elaborar as atas de eleições, da posse e das reuniões e manter o arquivo e o fluxo de correspondência atualizada. Os demais membros da CIPA devem participar das reuniões, investigar e analisar os acidentes ocorridos, sugerindo medidas preventivas e realizar inspeções nos locais de trabalho. Além disso, têm a obrigação de promover a divulgação de princípios e normas de segurança junto aos demais trabalhadores e atuar como porta-vozes dos problemas de segurança comunicados pelos empregados. Para o empregador a tarefa é simples: deve prestigiar integralmente a CIPA.

O que é SIPATs - Semana Interna de Prevenção de Acidentes?

Uma das principais atribuições das CIPAS é promover anualmente a Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT). A maioria das empresas opta pela realização das SIPATs no segundo semestre pelo fato de se possuir um maior número de informações sobre as condições de segurança, como por exemplo, as estatísticas de acidentes do ano anterior. Pelo menos 30 dias antes da realização da Semana, uma comissão deve ser criada para elaborar a programação a ser desenvolvida.
Simulações, competições esportivas e peças de teatro são algumas das práticas que vem sendo utilizadas nas empresas para realizar SIPATs criativas e realmente participativas.

Mapa de riscos

O Diário Oficial da União de 20 de agosto de 1992 publicou uma portaria do Departamento Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador (DNSST) implantando a obrigatoriedade da elaboração de mapas de riscos pelas Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAS) nas empresas. Essa portaria entrou em vigor em dezembro último. O mapa é um levantamento dos pontos de risco nos diferentes setores das empresas. Trata-se de identificar situações e locais potencialmente perigosos. A partir de uma planta baixa de cada seção são levantados todos os tipos de riscos, classificando-os por grau de perigo: pequeno, médio e grande. Estes tipos são agrupados em cinco grupos classificados pelas cores vermelho verde, marrom, amarelo e azul. Cada grupo corresponde a um tipo de agente: químico, físico, biológico, ergonômico e mecânico. A ideia é que os funcionários de uma seção façam a seleção apontando aos cipeiros os principais problemas da respectiva unidade. Na planta da seção, exatamente no local onde se encontra o risco (uma máquina, por exemplo) deve ser colocado o círculo no tamanho avaliado pela CIPA e na cor correspondente ao grau de risco. O mapa deve ser colocado em um local visível para alertar aos trabalhadores sobre os perigos existentes naquela área. Os riscos serão simbolizados por círculos de três tamanhos distintos: pequeno, com diâmetro de 2,5 cm; médio, com diâmetro de 5 cm; e grande, com diâmetro de 10 cm.

A empresa receberá o levantamento e terá 30 dias para analisar e negociar com os membros da CIPA ou do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), se houver, prazos para providenciar as alterações propostas. Caso estes prazos sejam descumpridos, a CIPA deverá comunicar a Delegacia Regional do Trabalho.

SIPAT –

 O QUE É?
SIPAT é uma semana voltada à prevenção, tanto no que diz respeito a acidentes do trabalho quanto a doenças ocupacionais.
É uma das atividades obrigatórias para todas as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes do Trabalho, devendo ser realizada com frequência anual.
A Legislação da SIPAT está prevista na Portaria nº 3.214, NR-5, item 5.16 “Atribuições da CIPA - letra O: “Promover, anualmente, em conjunto com o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho-SIPAT”“.
 

OBJETIVOS

Orientar e conscientizar os funcionários da SUA EMPRESA sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças no ambiente do trabalho;

Fazer com que os funcionários resgatem valores esquecidos pelo corre- corre do dia-a-dia, ou seja, não só tenham ideia de segurança, mas que também pratiquem segurança. Na SIPAT, os assuntos relacionados com saúde e segurança do trabalho são evidenciados, buscando a efetiva participação dos funcionários envolvendo, também, os diretores, gerentes e familiares se possível. Ela não deve ser vista como mero cumprimento da legislação, mas sim como a continuidade dos trabalhos voltados para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, onde a lucratividade está na promoção da saúde, aumento da produtividade e na valorização da vida.

O principal objetivo da SIPAT é divulgar e promover a prevenção de acidentes no trabalho. Para isso, busca oferecer atividades que possam orientar e conscientizar os funcionários quanto à importância de se eliminar os acidentes do trabalho, criando-se atitudes positivas para reconhecer e corrigir as práticas nocivas ao ambiente de trabalho.

COMO É FEITA?
As palestras para SIPAT podem ser realizadas com temas como Qualidade de Vida, Motivação, Segurança no Trabalho, Sexualidade, Meio Ambiente, Ergonomia, Direção Defensiva, Ética e Conduta Pessoal, Saúde e Higiene Pessoal, Alimentação Saudável, Primeiros Socorros, entre outros.
Geralmente os contratantes utilizam estas palestras em empresas.
Uma fórmula de grande sucesso para transmitir estes assuntos, é através do teatro-empresa, onde atores com muita dinâmica, descontração e participação do público, abordam os principais temas escolhidos pela empresa.
Para empresas que têm dificuldades em parar a linha de produção, há a alternativa de intervenções teatralizadas, onde atores percorrem os setores e com muita descontração, encenam sobre os temas definidos pela empresa.
Outros serviços como as técnicas de massagem Quick Massage e Reflexologia, podem ser utilizados como brinde para os funcionários participantes das palestras e até mesmo, para que os funcionários saiam da rotina.

Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, é uma semana obrigatória pela alínea 0, item 5.16 da NR 5, portaria do Ministério do Trabalho e Emprego DSST n° 8/99, na qual a empresa proporciona aos seus colaboradores momentos de informações a respeito de prevenção e conscientização quanto à segurança e acidentes no trabalho.

SIPAT (semana interna de prevenção de Acidentes) é uma semana voltada à prevenção, tanto no que diz respeito a acidentes do trabalho quanto a doenças ocupacionais. É uma das atividades obrigatórias para todas as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes do Trabalho, devendo ser realizada com frequência anual.

A Legislação da SIPAT está prevista na Portaria nº 3.214, NR-5, item 5.16 “Atribuições da CIPA - letra O:

“Promover, anualmente, em conjunto com o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho-SIPAT”.

A Legislação da SIPAT está prevista na Portaria nº 3.214, NR-5, item 5.16 "Atribuições da CIPA", letra O:"Promover, anualmente, em conjunto com o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho – SIPAT."
OBJETIVOS: Orientar e conscientizar os funcionários da SUA EMPRESA sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças no ambiente do trabalho; Fazer com que os funcionários resgatem valores esquecidos pelo corre- corre do dia-a-dia, ou seja, não só tenham idéia de segurança, mas que também pratiquem segurança. Na SIPAT, os assuntos relacionados com saúde e segurança do trabalho são evidenciados, buscando a efetiva participação dos funcionários envolvendo, também, os diretores, gerentes e familiares se possível. Ela não deve ser vista como mero cumprimento da legislação, mas sim como a continuidade dos trabalhos voltados para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, onde a lucratividade está na promoção da saúde, aumento da produtividade e na valorização da vida.
 

Organizando uma SIPAT

A SIPAT –Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, deve obrigatoriamente ser realizada anualmente, conforme prega a NR-5. A responsabilidade pela organização da SIPAT é da CIPA e obviamente, assessorada pelo SESMT da empresa, quando houver.

Algumas empresas têm suas SIPAT’s já estruturadas (inclusive com verba específica para tal) e, com exceção das mudanças dos componentes da CIPA, a SIPAT já tem suas diretrizes pré-estabelecidas.

Para que uma SIPAT tenha sucesso é imprescindível que ela seja bem planejada. Vejamos alguns itens que não podem faltar na sua organização:

- Definir uma equipe para realização SIPAT;

- Escolher um coordenador da equipe;

- Atribuir tarefas para toda a equipe;

- Estabelecer cronograma de reuniões durante todo o período da atual gestão;

- Envolver todos os departamentos na realização da SIPAT desde o início;

- Registrar em ATA todas as reuniões;

Apesar de acontecer em apenas uma semana, engana-se quem pensa que é fácil fazer uma SIPAT. Muitas vezes as pessoas pensam que têm um ano até que o evento aconteça e acabam deixando tudo para a última hora. Daí a importância do cronograma de reuniões. É preciso definir as etapas de organização da SIPAT.

Outro aspecto importante a analisar é a questão dos custos de uma SIPAT. Obviamente que quem investe na organização da SIPAT, vai querer saber no que será gasto seu dinheiro e por isso mesmo este assunto deve ser discutido a fim de fornecer a previsão de gastos ao responsável pela aprovação e liberação da verba.

O sucesso ou não de uma SIPAT está atrelada à forma como ela foi planejada. É claro que não dá para fazer uma SIPAT só com a vontade. Tem outros fatores que pesam no resultado final tais como;

- Apoio da direção da empresa aos organizadores da SIPAT;

- Escolha de um bom tema;

- Disponibilidade da equipe para trabalhar;

- Investimento em prêmios, divulgação, palestras, brindes,etc.;

- Participação dos funcionários nos concursos;

- Motivação da equipe organizadora;

Se você quiser fazer uma SIPAT que tenha uma boa repercussão na empresa, defina claramente no seu cronograma de reuniões e os assuntos a serem tratados em cada uma delas.

Na parte I fiz uma introdução do que é uma SIPAT e também algumas considerações quanto ao seu planejamento.
Continuando com o assunto sobre as reuniões, vou sugerir alguns temas a serem discutidos.

VEJAM AS SUGESTÕES:


- Fazer o cronograma mensal das reuniões (sugiro que no mês que antecede à SIPAT, as reuniões sejam semanais);
- Os dias e horários das reuniões devem ser fixos (toda 1ª segunda-feira de cada mês à 13h00, por exemplo)
- Definir o tema para a SIPAT;
- Definir os concursos a serem realizados;
- Fazer um calendário para realização dos concursos;
- Fazer relação das premiações para cada concurso;
- Enviar ao responsável pela liberação da verba a relação dos prêmios e respectivos custos para sua apreciação e aprovação;
- Se tiver um concurso para escolha do logotipo da SIPAT, este deve ser o primeiro a ser realizado;
- Divulgar os concursos com antecedência para que todos possam participar;
- Escolher as palestras que serão apresentadas na SIPAT;
- Escolher um apresentador para SIPAT;
- Agendar as palestras antecipadamente junto aos palestrantes;
- Estabelecer um plano “B” para o caso da impossibilidade da realização de alguma palestra;
- Discutir como será a abertura da SIPAT;
- Elaborar o convite da SIPAT;
- Enviar convocação para os vencedores dos concursos;

Estas sugestões podem e devem ser complementadas com outros itens.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA A SIPAT


- Realização de concursos de logotipo, frases e paródias;
- Não diga alô! Diga SIPAT 2009! (divulgar antes);
- Apresentação de peça teatral sobre segurança do trabalho;
- Exposição de EPI’s;
- Exposição de projetos de segurança desenvolvidos pelos departamentos;
- Palestra sobre DST/AIDS;
- Palestra sobre qualidade vida dentro e fora da empresa;
- Palestra sobre prevenção de acidentes no lar;
- Palestra sobre o uso correto dos EPI’s e seus benefícios ao trabalhador;

São muitas as possibilidades de atividades na SIPAT. Listei apenas alguns itens. Inclusive muitas atividades podem ser desenvolvidas nos próprios ambientes de trabalho ou no restaurante, por exemplo.

Chegamos à reta final da organização da SIPAT. Falta apenas uma semana e tudo parece estar de acordo. Será? É melhor não dar sopa ao azar. Vamos elaborar (a)uma lista de tudo que será necessário nos dias de realização da SIPAT (b) um cronograma de dias e horários com os respectivos eventos.


Lista de serviços para o dia-a-dia da SIPAT
- Preparar o auditório (local) da realização da SIPAT;
- Verificar bebedouros (Tem? É suficiente? Precisa de copos?)
- Verificar sanitários (materiais de higiene e limpeza);
- Limpeza do recinto;
- Comes e bebes (se houver);
- Água para palestrantes;
- Reservar lugar no auditório para alguma autoridade;
- Conferir equipamentos de áudio e vídeo (em duplicata);
- Conferir lista de premiações e respectivos prêmios;
- Verificar os brindes que serão sorteados no dia;
- Máquina fotográfica para registrar o evento;
- Pilha (ou bateria) reserva para a máquina;

Estes são alguns itens a serem verificados, eventualmente podem existir outros dependendo, por exemplo, do local da realização da SIPAT. Se for um local com muitas janelas é aconselhável escurecê-las para facilitar o uso dos recursos visuais.

Como elaborar um cronograma diário.

Este cronograma será detalhado em hora/acontecimento, ou seja, toda a programação da SIPAT será contemplada no cronograma. Desde a abertura, palavra do presidente da CIPA, palavra da Diretoria (lembre-se que é muito importante que alguém do alto escalão faça esse discurso na abertura e no encerramento), palestras, sorteios, premiações, apresentação de paródias, apresentação de teatro, tempo de preparo de equipamentos de palco; enfim, tudo que fizer parte da SIPAT tem que estar no cronograma.

Um cronograma bem feito previne qualquer tipo de falha que porventura possa acontecer. Por exemplo: você planejou 10 minutos para a palavra do diretor e ele acaba fazendo um discurso de meia hora. Isso obviamente empurra toda a programação vinte minutos para frente. Então qual é a solução? Quando não se tem certeza da duração do acontecimento, acrescente um tempo a mais. É mais fácil consumir um tempo vago com um plano “B”até a próxima atração, do que arranjar tempo que não foi planejado.
Preparei um modelo de cronograma e disponibilizei para download. Por se tratar de uma tabela, fica difícil postar neste espaço. Baixe o modelo e acrescente o que você achar que precisa. Ou retire aquilo que não serve para você.

Acredito que com esse artigo, planejar uma SIPAT deixe de ser um bicho de sete cabeças para os marinheiros de primeira viagem. Normalmente durante os cursos para técnicos de segurança, a realização de uma SIPAT pelo grupo, faz parte das atividades extras, porém nem sempre é possível todos acompanharem o processo de elaboração e execução da SIPAT em detalhes.

Tudo que vimos neste artigo é fruto de minha experiência na organização desse evento que coroa o trabalho de um ano de Gestão da CIPA. Não é a toa que as SIPAT’s são sempre realizadas no final da gestão. Portanto, para encerrar com chave de ouro faça a melhor SIPAT que você puder. Com certeza, com muita dedicação e planejamento será um evento que ficará marcado na empresa e todo o esforço da equipe será recompensado no final, com a certeza do dever cumprido

Referências Bibliográficas

http://www.soartigos.com/artigo/8779/Entenda-o-que-e-SIPAT-e-como-ela-tem-ajudado-funcionarios-a-ter-uma-saude-melhor/

www.direcaodefensiva.net/

www.sipatetreinamentos.com.br/palestras-para-sipat.html

http://www.artigonal.com/saude-artigos/o-que-e-sipat-6029816.html


 

Postagens mais visitadas deste blog

Objetivos da Logística

Logística tem por objetivo planejar, colocar em operação e controlar as atividades de logística de uma empresa, utilizando as metodologias e tecnologias atualizadas de gestão e identificando oportunidades de redução de custos, aumento da qualidade dos serviços em geral e aumento da qualidade de cumprimento do prazo. O profissional sairá preparado para aperfeiçoar os processos de aquisição, armazenamento e distribuição de materiais dentro do conceito de cadeia de suprimento (supply-chain), bem como para analisar aspectos de dimensão e localização de Centros de Distribuição, visando à minimização de custos operacionais e tributários, sem perda na qualidade dos serviços, e possibilitando vantagens competitivas para a empresa.




No Brasil, o Decreto-Lei 1.598/77, em seu artigo 14 determina que: o contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos apurados para avaliação dos estoques de produtos, principa…

Gargalos Logísticos

O sentido no qual o termo "gargalo" está sendo empregado é de representar os fatores que configuram um estrangulamento, um impedimento à expansão ou desenvolvimento de alguma atividade econômica.

Os "gargalos" são todos os pontos dentro de um sistema industrial que limitam a capacidade final de produção. E por capacidade final de produção devemos entender a quantidade de produtos disponibilizados ao consumidor final em um determinado intervalo de tempo.
São vários problemas que comprometem a logística no Brasil e, consequentemente, a competitividade e eficiência tanto da indústria nacional (inviabilizando as exportações em alguns casos) quanto das filiais brasileiras de empresas multinacionais.
Os gargalos da logística inclusive já estão computados no chamado "Custo Brasil".
Os fatores e as questões socioambientais somadas às questões comerciais e econômicas apresentam-se latentes nas questões estratégicas das operações o que resulta em investimentos logísti…

20 perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego e dicas de como você pode respondê-las para se dar bem em um processo de seleção.

1. Fale sobre você.
Não existe regra. Cada entrevistador tem uma expectativa. No geral, o selecionador quer saber mais sobre a formação acadêmica do candidato, o que ele gosta de fazer (hobby), seus sonhos e expectativas. A orientação é direcionar o discurso para o âmbito profissional.
2. Quais são seus objetivos a curto prazo?
O candidato tem de pensar qual é o seu objetivo antes da entrevista. Só assim vai saber se determinada oportunidade de empregoé interessante para ele. É necessário que o profissional “entreviste” também a empresa e averigue se a proposta é significante para sua carreira.
3. Quais são seus objetivos a longo prazo?
Como em uma relação a dois, é primordial que a pessoa deixe claro quais são seus anseios na vida profissional. Para isso, é preciso ter clareza. O erro da maioria dos candidatos é a passividade, isto é, aceitar uma proposta sem saber o que é relevante para sua trajetória profissional.
4. Como você lida com as pressões do trabalho?
O candidato deve dar …