sábado, 22 de setembro de 2012

Operações Logística


A tendência é ocorrer uma concentração de mercado entre poucas dezenas de operadores logísticos. Fusões e aquisições se tornaram freqüentes e devem se acentuar. Os empresários interessados nesse setor devem, obrigatoriamente, considerar essas movimentações.

Enfim, a atividade logística finalmente amadureceu no Brasil. Hoje oferece ricos benefícios para aqueles que a utilizam de maneira correta e rende dividendos para os investidores. Para que o ambiente se torne ideal, basta a contrapartida governamental na reconstrução da infraestrutura. E mesmo nesse ponto, embora de maneira mais lenta, também estão ocorrendo avanços. Bons tempos aguardam o setor.

A gestão do supply chain é esforço envolvido nos diferentes processos e atividades empresariais que criam valor na forma de produtos e serviços para o consumidor final,é uma forma integrada de planejar e controlar o fluxo de mercadorias, informações e recursos, desde os fornecedores até o cliente final, procurando administrar as relações na cadeia logística de forma cooperativa e para o benefício de todos os envolvidos desafios e benefícios da gestão integrada fornecem motivos suficientes para a revolução da cadeia de suprimentos, no entanto, outros impulsionadores fundamentais tornam os arranjos de cadeias de suprimentos ainda mais atraentes.

Para elaborar as extensas implicações desse importante desenvolvimento, é útil contrastar a prática empresarial tradicional ou preventiva com o emergente modelo de negócios reativo baseado no tempo. Estratégias relacionadas à incorporação do adiantamento também foram desenvolvidas. O adiantamento é uma importante estratégia na gestão contemporânea da cadeia de suprimentos.

A cadeia de abastecimento é um conjunto de ações e processos que possibilitem que o produto chegue ao cliente e que com isto possa agregar valor ao produto, esses processos devem ser integrados com todos os outros, não ficando apenas na movimentação de materiais, tais como: localização da organização, distribuição física, administração de estoque, modo de transporte, fluxo de informações, estimativas, relacionamentos, ou seja, comprar, produzir e distribuir.

As novas características econômicas no mundo estão mudando os fluxos logísticos globais;

Sua intensidade, a velocidade, as necessidades físicas, e assim por diante. Uma das principais

Tendências nos fluxos da cadeia de suprimentos e a intensificação do tráfego, que está causando restrições à capacidade da infraestrutura em muitos casos. Tal sobrecarga afeta intensamente todos os segmentos do sistema logístico e cria em alguns casos um desbalanceamento internacional de fluxos. Este fenômeno força as corporações a modificar sua estratégia e a buscar novas soluções.

Reduzir custos e ampliar os lucros;

Aumentar a eficiência;

Melhorar os tempos de ciclos da cadeia de fornecimento;  
Melhorar o desempenho nos relacionamentos com clientes e fornecedores;
Obter o produto certo, no lugar certo, na quantidade certa, com o menor custo e menor estoque possível.Interligar os fornecedores estrategicamente importantes que permite melhor
Visibilidade de alocação de recursos de toda a cadeia produtiva, para melhor.
Posicionamento de materiais que, por sua vez, permitiria melhor atendimento aos clientes.

A sua utilização bem definida  na gestão estratégica,m com plano ou padrão que integras as principais metas políticas e sequencias de ações de uma organização como um todo coerente. O ambiente corresponde ao que envolve o empreendimento pode ser favorável ou desfavorável, em determinada situação tendo ter uma reação que pode mudar o ambiente para prever a situação presente ou futura.

Indentificação das necessidades,como problemas ou oportunidades para atender todas as necessidades com uma visão geral o ciclo da vida tanto de um projeto,quanto de uma empresa,são divididas em etapas,que estão interligadas entre utilização dos recursos,a criação,desenvolvimento,divulgação do produto ou serviço,até chegar ao consumidor final. O ambiente logístico se difere no equilíbrio dinâmico (cultura, clima, tradição, social, econômico, tecnológico, outros.):

Ø  As mudanças Sociais considera consciência ambiental, o aumento da longevidade, a emancipação feminina, o aumento da tecnologia (informação), facilitação do transporte, o aumento da democracia.

Ø  Mudanças de Mercado com maior exigência do consumidor, o aumento da concorrência, produtos com comodidites, globalização dos mercados, aumento da comunicação, aumento dos serviços.

Ø  Mudanças da Produção redução de estoque, a filosofia Just-In-Time, flexibilização da produção, aumento da tecnologia, engenharia simultânea, aumento da qualidade.

A elaboração de uma mudança em um projeto enfoca estes itens instalação de uma planta industrial, ou reestruturação da atual planta industrial, ou, determinado setor, o uso intensivo do Marketing e Publicidade da empresa, com uma gestão democrática na realização (construção), e coordenação na gerencia de programas, na construção de produtos, e gerenciamento de divulgação do produto, ou serviços, e ter consciência do mercado onde a empresa vai divulgar seus produtos.

As metas, ou objetivos da empresa tem que  ter um ponto chave para estabelecer o que vai ser feito, sua compreensão da complexidade inclui atividades com tempo determinados para sua realização, com estimativa financeira, com base fornecida por informações, e controle na gestão do projeto.
Um aspecto importante na gerência de transportes é a coordenação com as atividades restantes na empresa, especialmente relacionadas a depósitos e ao serviço de atendimento ao cliente. Em alguns casos o transporte é o último contato com o cliente, e consequentemente, as companhias devemvprestar atenção em cumprir as expectativas do cliente e usar este relacionamento para melhorar suas vendas. (LOURENÇO, 2001, tradução nossa).

O processo de gerenciar estrategicamente a aquisição, movimentação e armazenagem de materiais, peças e produtos acabados (e os fluxos de informações correlatas) através da organização e seus canais de marketing, de modo a poder maximizar as lucratividades presente e futura através do atendimento dos pedidos a baixo. (CHRISTOPHER, 1999)

A logística empresarial trata de todas as ati1vidades de movimentação e armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável. Transporte rodoviário: utilizado para cargas que precisam de um prazo mais rápido para a entrega.

Avaliar a possibilidade da distribuição física através as diversas combinações dos modais de transportes;

Definir um modelo de redes logísticas que facilite a analise e definição da melhor alternativa de transporte;

Avaliar, através do modelo matemático, fatores relacionados a custo, tempo e risco da operação logística de diferentes opções de transportes.

Transportes – Ainda hoje, muitas empresas consideram esta atividade como a mais importante, sendo que muitas pensam que a área de Logística se resume a esta atividade o que é um grande equívoco. A atividade de transporte está relacionada aos diversos métodos de se movimentar produtos e insumos e por isso é essencial ao processo logístico, sendo ainda responsável por uma grande parte dos custos logísticos da empresa. Vale ressaltar que existem diversos modais (meios) de transportes disponíveis: rodoviário, ferroviário, aeroviário, dutoviário e marítimo, sendo que em nosso país ainda existe uma grande predominância pelo modal rodoviário. Em termos mundiais, observa-se uma tendência a multimodalidade, ou seja, a integração dos diversos modais de transporte. Manutenção de Estoques – A questão dos estoques merece uma atenção especial dos profissionais de logística, pois o grande desafio é ter o menor nível de estoque possível sem prejudicar o nível de serviço ao cliente, ou seja, dispor da quantidade necessária para atender ao cliente quando ele desejar. Sabemos que não é um desafio simples. No entanto existem técnicas de gestão que auxiliam nesta tarefa. Em termos de custo logístico esta atividade também representa uma parcela considerável dos mesmos, sendo então necessária atenção especial a este ponto. Processamento de Pedidos - Mesmo não sendo uma atividade que representa um custo elevado como as anteriores, esta atividade está relacionada diretamente ao nível de serviço ofertado aos clientes, logo também é de extrema importância para o processo logístico. O grande desafio do profissional de logística consiste em reduzir o “ciclo do pedido” que é o tempo total entre o cliente realizar um pedido e o mesmo ser entregue. Logo é importante contar com sistemas eficientes de recebimento de pedido, checagem de estoque, aprovação de crédito, separação, expedição e entrega do produto comprado para o cliente.
Com o crescimento do comércio eletrônico esta atividade vem se tornando extremamente importante e pode ser um diferencial competitivo para as empresas, visto que ao fazer uma compra na Internet o consumidor espera uma entrega tão ágil quanto foi o processo de realizar o pedido. Nos próximos artigos estaremos tratando das atividades de apoio (Armazenagem, Manuseio de Materiais, Embalagem de Proteção, Obtenção, Programação de Produtos e Manutenção de Informação). Ø Secundárias: 
Onde localizar os estoques da cadeia de suprimentos – decisão referente à centralização ou descentralização, onde cabem análises sobre dimensões como giro valor agregado, disponibilidade e nível de serviço exigido pelo cliente. Depende fundamentalmente das características de cada material;

Quando pedir o ressuprimento – aqui se deve determinar se a empresa vai ou não cumprir a metodologia sugerida pelo ponto de pedido ou canal de venda. Também depende do cálculo dos custos de manutenção de estoques e transporte, principalmente quando são avaliadas estratégias de postergação ou consolidação de Ressuprimento. Quanto manter em estoques de segurança – cálculo baseado na demanda e lead time de ressuprimento a fim de determinar o quanto é possível reduzi-lo sem prejuízo para os níveis exigidos pelo mercado. O dimensionamento também depende da análise relativa aos custos tanto da falta quanto do excesso;

Quanto pedir – determina-se se é mais apropriado para a empresa adotar

Um princípio econômico de compras ou um regime de suprimento Just in time. As

Abordagens podem ser empregadas em conjunto. É possível utilizar inúmeras formas para estocagem de materiais, lotes unificados, estruturas porta paletes, prateleiras e sistemas automatizados de estocagem e separação, porém normalmente as formas de estocagem mais utilizadas são o empilhamento sobre o piso em prateleiras ou paletes. 

Embalagem - A embalagem é um recipiente ou envoltura que armazena produtos temporariamente e serve principalmente para agrupar unidades de um produto, com vista à sua manipulação, transporte ou armazenamento. Um dos objetivos da logística é movimentar bens sem danificá-los além do economicamente razoável. Um bom projeto de embalagem do produto auxilia a garantir a movimentação sem quebras
Armazenagem - É a administração do espaço que se dispõe para manter os estoques, logo percebemos que se trata de uma atividade que necessita de um alto grau de planejamento, pois quando tratamos com armazenagem estamos relacionados diretamente a algumas condições chaves para o seu satisfatório desempenho como localização, espaço físico, arranjo físico e sistemas de informações. Manuseio de materiais – É associado com a armazenagem e também apoia a manutenção de estoques. É uma atividade que diz respeito à movimentação do produto no local de estocagem, como por exemplo, a transferência de mercadorias do ponto de recebimento no depósito até o local de armazenagem e deste ponto até o despacho.

 

• Transporte ferroviário: utilizado para cargas maiores, porém o fator tempo não é considerado na escolha deste.

• Transporte hidroviário e marítimo: utilizado para cargas em que o tempo não seja fator preponderante no encarecimento do produto.

• Transporte aeroviário: utilizado para cargas em que o prazo de entrega seja realmente importante.

• Transporte intermodal: modalidade mista, a qual utiliza transportes variados, geralmente realizado em locais de difícil acesso ou quando à distância para estes locais é grande. Tempo - que varia simplesmente pelas características de cada transporte:

• Custo - cada modalidade tem o seu próprio componente de custos, o qual implicará no valor do frete;

• Manuseio - cada transporte possui suas operações de carga e descarga e a embalagem pode facilitar o manuseio e reduzir perdas;

• As Rotas de viagem - cada modalidade de transportes possui um número maior ou menor de viagens, a empresa pode mesclar o tipo de transporte sempre que necessário.

Os canais verticais compreendem um modelo em que a responsabilidade de cada elemento da cadeia de suprimento era vista verticalmente, ou seja, essa estrutura era baseada na transferência de responsabilidades de um canal a outro.

Os canais híbridos constituem uma estrutura menos rígida do que a citada anteriormente, considerando que algumas funções podem ser realizadas em paralelo por dois ou mais elementos da cadeia. Um problema encontrado na literatura refere-se à duplicidade de atuação em alguns segmentos, como ocorre quando o distribuidor (de funções parciais) de uma determinada fábrica é também distribuidor (de funções integrais) de outra. Por existir maior número de funções nesta segunda, a sua receita poderá ser superior à primeira, ocasionando atenção mais elevada a esta determinada fábrica e, consequentemente, maior compromisso.

Os canais múltiplos utilizam mais de um canal de distribuição referente à cadeia de suprimento, em função dos diversos tipos de consumidor. Por exemplo, existem consumidores que preferem adquirir seus produtos pela internet, outros preferem dirigirem-se as lojas e obter atendimento e informações personalizadas acerca de um determinado produto.

Desse modo, as organizações devem adequar o tipo de canal de distribuição à sua realidade, bem como às suas necessidades de aperfeiçoamento e crescimento no mercado. Intangibilidade: Os serviços são abstratos, portanto, o tratamento dado ao mesmo não pode ser comparado às outras atividades de marketing. Isto é, não se pode fazer o marketing de um advogado da mesma maneira que se faz o marketing de um restaurante.

• Inseparabilidade: Esta característica dos serviços refere-se aos seguintes determinantes mercadológicos de comercialização, qual sejam a produção e o estoque de bens. Os serviços não podem ser estocados e são produzidos na frente do cliente, assim sendo é importante que a capacidade de prestação de serviços seja antecipada.

• Heterogeneidade: Significa que é impossível manter a qualidade do serviço constante. Os serviços são produzidos pelo ser humano, desta forma, a natureza do mesmo é instável assim como a qualidade do serviço.

• Simultaneidade: Nos serviços, a produção e o consumo ocorrem ao mesmo tempo, para tanto, é fundamental o momento de contato com os clientes, por isso deve aproveitá-lo da melhor forma.

Possível.

 

Desse modo, a distribuição reflete-se como um poderoso diferencial competitivo, quando as organizações utilizam o planejamento estratégico da distribuição física de forma eficiente; assim os resultados aparecem, trazendo benefícios à empresa, gerando como consequência aumento no.

Faturamento da empresa e fornecendo à mesma melhor sobrevivência em um momento que se configura em grande concorrência e globalização dos negócios.

 

Atualmente, esta ferramenta se dá como uma técnica moderna de administração e que se baseia num processo de gestão que tem critério de aplicação (início, meio e fim), uma visão temporal (curto, médio e longo prazo) e uma ótica estratégica, dimensionada para alcançar objetivos determinados e reconhecidos pela.

 

É um processo de gestão pelo qual se repassam algumas atividades meio para terceiros - com os quais se estabelece uma relação de parceria ficando a empresa concentrada apenas em tarefas essencialmente ligadas as atividade fim ao negócio em que atua.

A origem da terceirização se deu nos Estados Unidos, logo após o início da segunda guerra mundial, pois as indústrias bélicas tinham que se concentrar no desenvolvimento da produção de armamentos e passaram a delegar algumas atividades a empresas prestadoras de serviços. A continuidade da expansão econômica sem pressões inflacionárias e desequilíbrios é possível,

Mas dependerá de alguns fatores. Entre eles, a ampliação de infraestrutura (portos, aeroportos, (Estradas, ferrovias, saneamento etc.) e a retomada de reformas institucionais, como a tributária,abandonada nos últimos anos ,as privatizações no setor de transportes ocorreram principalmente entre 1996 e 1998. Segundo Cavalcanti (2002), a consequência direta deste processo está relacionada com uma mudança estrutural em termos de eixos produtivos e configuração institucional do setor, diante dos novos papéis e funções desempenhados pelo governo, por meio de agências reguladoras e concessionárias. Em meados da década de 1990, além da implantação de projetos prioritários, o Governo promoveu a modernização dos instrumentos normativos relacionados ao setor de transporte, viabilizando novos mecanismos que visavam à concretização de relações público-privadas, que poderiam ser capazes de assegurar o aporte de recursos necessários e a recuperação e ampliação da infraestrutura rodoviária e de outros serviços de transporte.

 

Organização. Nesta nova administração as atenções são dirigidas para o cliente. As pequenas e médias empresas foram pioneiras em adaptar-se para essa nova modalidade de administrar, em seguida as grandes organizações. A primeira tentativa de mudança, conhecida como downsizing, foi à redução dos níveis hierárquicos, enxugando o organograma, reduzindo o número de cargos e consequentemente tornado ágeis a tomada de decisões - que não implica, necessariamente, com corte de pessoal - passando a transferir para terceiros a incumbência pela execução das atividades secundárias. Surgindo o outsourcing (terceirização), passando a ser adotada de forma plena pelas.

Empresas.

• Gera a desburocratização;

• Alivia a estrutura organizacional;

• Melhor qualidade dos serviços gerando a melhoria do

Produto final;

• Eficácia empresarial;

• Aumenta a flexibilidade nas empresas;

• Agilidade no processo decisório e administrativo;

• Simplifica a organização;

• Gera a economia de recursos: Humanos; materiais;

Econômicos e financeiros.

 

“A carência de informações sobre custos logísticos no Brasil torna

Frequente a utilização de dados defasados. O grande problema é que esses

Dados não necessariamente representam a nossa atual realidade, tornando.

Difícil, entre outras coisas, a comparação com outros países. Além de tudo, a.

Falta de um histórico acaba inviabilizando a análise da evolução do nosso custo

“Logístico”.

A Terceirização foi implantada no Brasil, com a chegada das empresas.

Multinacionais na década de 60. Entretanto as empresas tomadoras de

Serviços de terceiros não enxergavam o grande potencial da terceirização e a

Utilizavam apenas para economizar em atividades isiguinificantes sem se

Preocupar em gerar ganhos de competitividade, eficiência e eficácia. Da

Mesma forma as empresas fornecedoras dos serviços não tinham a menor

Especialização, apenas forneciam funcionários para as instalações do tomador.

De serviços sem nenhum profissionalismo. Específico da empresa, pois conhecem a cultura e a filosofia da organização. Deve ficar bem claro a capacidade empreendedora da empresa contratante. O fornecedor de serviços não pode ter no seu cliente sua única fonte de renda, sendo assim as partes deve se comportar como de fossem sócios. Para que isso tudo aconteça, cabe ao contratante estabelecer alguns pré-requisitos que lhe permitem optar pela melhor empresa especialista, contratada de acordo com suas necessidades: como capacidade de absorver as atividades a serem terceirizadas, lista de clientes e tipos de trabalho desenvolvidos, número de funcionários e técnicos habilitados para a prestação de serviços, capacidade empreendedora usa de tecnologia e busca de aprimoramento. Com relação às atividades terceirizadas: treinamento e desenvolvimento do seu pessoal e política de treinamento de funcionários do contratante, metodologia de trabalho com ênfase na transferência de tecnologia se for o caso, processos e programas de qualidade e produtividade empregados em atividades assemelhadas a serem controladas, flexibilidade e agilidade do prestador de serviços em se adaptar as condições do cliente, responsabilidades no cumprimento de prazos, números de funcionários alocados, equipamento e materiais envolvidos.
Além das funções dos canais de distribuição citadas acima devemos verificar o número de níveis intermediários e a largura do canal (número de empresas que atuam) na cadeia de suprimento

Estas características são fundamentais para o posicionamento da empresa no mercado, pois uma má escolha no tipo de distribuição pode acarretar na interrupção das atividades da empresa.

A Logística do Marketing leva a empresa a posicionar-se em relação ao seu produto: participação de mercado, da marca, dos serviços.

A preocupação com a demanda (indução e satisfação), pois é através da previsão (forecast) que conseguimos o ponto de equilíbrio entre a capacidade de produção e os pedidos dos clientes. Além disso, a previsão auxilia outras áreas como compras e distribuição.

Em relação à distribuição deve-se ter o cuidado de verificar algumas características em relação ao produto. 

Produto é o conjunto de atributos que o cliente recebe através da compra. A diretoria pode alocar recursos para o desenvolvimento de produtos e trazer novos produtos ao mercado ou melhorar a qualidade de produtos existentes. A qualidade do produto influencia a demanda e o preço que a empresa pode cobrar. Baixar a qualidade reduz os custos de fabricação e aumenta os lucros de curto prazo, mas isso pode significar a erosão da rentabilidade em longo prazo. Nos mercados globais, todos os concorrentes importantes terão que dispor de produtos de alta qualidade. Como declarou o vice-presidente sênior de uma empresa Fortune 500: “Um produto de alta qualidade é simplesmente o preço de admissão; todos os concorrentes japoneses terão produtos de alta qualidade e inovadores. É muito difícil – senão impossível – uma empresa ter diferenciação com base no produto”.


Preço é o montante em dinheiro que o fabricante recebe por seu produto. A diretoria deve determinar como as alterações de preço afetam o comportamento de compra, tanto de intermediários como de consumidores finais. As alterações em preços não se limitam a mudanças no preço do produto. Quando o fabricante exige pagamento mais rápido de suas contas a receber, proporciona um desconto para pagamento antecipado ou muda os termos financeiros da venda, está mudando os preços de seus produtos, e tais mudanças pode afetar a demanda. O preço que o fabricante recebe por seus produtos difere, dependendo do canal de distribuição utilizado.

A diretoria pode tentar aumentar as vendas e a lucratividade reduzindo preços. Entretanto, em indústrias maduras, esta é uma estratégia questionável. Por exemplo, se o lucro livre de impostos de uma empresa é de 4% das vendas, uma redução de preço de 2% baixará o lucro líquido de 4% para 3%, casa não haja um aumento em vendas. Seria um aumento substancial de vendas para gerar um equilíbrio e manter o lucro de 4%. Atingir o aumento em vendas necessário em um mercado maduro é muito difícil. Geralmente os concorrentes acompanharão as reduções em preços e todos estarão ganhando menos porque as vendas da indústria aumentarão pouco ou nada.

Refere-se tanto à propaganda como a visita de vendas. Maiores investimentos em propaganda aumentarão as vendas, mas em algum ponto maiores despesas de propaganda não aumentarão as vendas a ponto de justificar o gasto adicional. O montante de suporte de vendas necessário dependerá do canal de distribuição utilizado. Por exemplo, os fabricantes que utilizam vendas diretas têm de gastar mais com equipe de vendas. O tamanho da força de vendas influencia o tamanho do mercado potencial e a fatia de mercado do fabricante. Entretanto, para justificar esse gasto adicional, mais investimentos em promoção devem levar a um aumento maior ou igual na contribuição resultante do aumento gerado nas vendas. Em muitas indústrias, existe uma oportunidade de utilizar a visita de vendas com maior eficácia treinando-se os vendedores para vender o valor agregado que é proporcionado por uma logística mais capacitada.

O componente lugar representa o gasto do fabricante em serviço ao cliente, que pode ser definido como o resultado do sistema de logística. O serviço ao cliente é a interface entre a logística e o marketing. Enquanto o serviço ao cliente é o resultado do sistema de logística, a satisfação do cliente resulta quando a empresa desempenha bem em todos os componentes do mix de marketing. A disponibilidade do produto e o ciclo do pedido podem ser utilizados para diferenciar o produto e podem influenciar o preço de mercado, se os clientes estão dispostos a pagar mais por um serviço melhor. Além disso, os fabricantes adicionam custos de logística aos custos do produto, portanto a logística pode afetar o preço de mercado fixado por uma empresa.

Para muitas empresas, serviço ao cliente pode ser o melhor método de ganhar vantagem competitiva. A empresa pode ser capaz de melhorar significativamente sua fatia de mercado e lucratividade gastando mais que seus concorrentes em serviço ao cliente/logística. Entretanto, através do ajuste sistemático do pacote de serviço ao cliente, a empresa pode melhorar o serviço e reduzir os custos totais de logística. Ao avaliar opções de estratégias de serviço ao cliente, a meta da diretoria é maximizar a rentabilidade em longo prazo da empresa.

Aumentar despesas dos vários componentes do mix de marketing exige aumentos de vendas para recuperar os custos adicionais. A maioria das empresas tem recursos limitados e, portanto devem alocar esses recursos de maneira a aumentar sua fatia de mercado e rentabilidade. Deslocar dinheiro do mix de marketing para o serviço ao cliente, provenientes de áreas nas quais o dinheiro não atingindo vendas suficientes, pode resultar em economias de custo, bem como melhor serviço ao cliente. A vantagem deste método é que a margem de contribuição dos aumentos de vendas resultante vai diretamente para a última linha do demonstrativo de lucros e perdas. O impacto no lucro líquido é substancial porque reduções de custo em outros componentes do mix de marketing compensam o aumento de custos do serviço ao cliente e não é necessário deduzir os custos incrementais de serviço da contribuição incremental gerada. Além disso, as melhorias no serviço ao cliente não copiada facilmente pela concorrência, como acontece em mudanças no produto, preço e promoção.

Gerenciar sua própria logística x Delegar a atividade logística, utilizando plataformas logísticas externas.

No início de atividade de uma loja virtual o volume de pedidos é normalmente baixo e é possível se gerenciar internamente a logística. À medida que se torna mais popular, a loja virtual passa a entregar um volume cada vez maior de pedidos. Nesses casos, a delegação da atividade logística passa a ser uma opção interessante.
Dispor de uma interface de gestão da plataforma logística, o que significa que cada pedido feito no site será levado em conta. Após o envio do pedido a loja virtual e o cliente poderão fazer o tracking do pedido, e a loja pode gerenciar o estoque de seus produtos.
  • A logística poderá fazer a recepção, o controle e o estoque dos produtos, além de fazer o picking, empacotar e enviar os pedidos aos clientes.
  • Fazer uma melhor gestão do retorno dos pedidos. Cada produto devolvido pode ser reintegrado ao estoque ou então descartado caso esteja em más condições.
  • Propor aos clientes vários tipos de entrega (Expressa, econômica...). Empresas de logística possuem frequentemente parcerias com transportadoras, conseguindo melhores preços para as lojas virtuais.
Numa época em que a sociedade é cada vez mais competitiva, dinâmica, interativa, instável e evolutiva, a adaptação a essa realidade é, cada vez mais, uma necessidade para que as empresas queiram conquistar e fidelizar os seus clientes. A globalização e o ciclo de vida curto dos produtos obrigam as empresas a inovarem rapidamente as suas técnicas de gestão. Hoje, já não basta satisfazer, é necessário encantar. Os consumidores são cada vez mais exigentes em qualidade, rapidez e sensíveis aos preços, obrigando as empresas a uma eficiente e eficaz gestão de compras, gestão de produção, gestão logística e gestão comercial. Tendo consciência desta realidade e dos avanços tecnológicos na área da informação, “é necessária uma metodologia que” consiga planear, programar e controlar da maneira eficaz e eficiente o fluxo de produtos, serviços e informações desde o ponto de origem (fornecedores), com a compra de matérias primas ou produtos acabados, passando pela produção, armazenamento, estocagem, transportes, até o ponto de consumo (cliente) (Alves, Alexandre da Silva; 2008; De forma simplificada podemos identificar este fluxo no conceito de logística. No entanto, o conceito de logística tem evoluído ao longo dos anos. 

Com a explosão do serviço ao cliente, ressaltando o valor de uso do produto, uma vez que estes não têm valor até que eles estejam nas mãos dos clientes na hora e lugar exigidos, fez com que o gerenciamento logístico passasse a ser prioritário.  O mercado está aquecido e cada vez mais precisou de líderes comprometidos em nossas organizações, à exigência mudou, já passamos a fase dos "chefes", as empresas estão se profissionalizando e a Gestão também, hoje o espaço do chefe está sendo mudado para o "coach". Muitas empresas já estão capacitando suas lideres para administrar nessa nova forma, o que será o tema desse artigo.

As empresas tendem a encurtar o fluxo logístico se os trazendo para próximo de suas plantas o que permite a operação adotando-se os princípios de Just - in -Time na entrega, e na fabricação, agilizando a colocação dos produtos no mercado.

A visibilidade do fluxo logístico é de vital importância para a identificação dos gargalos de produção e na redução dos estoques, para isto as barreiras departamentais devem ser quebradas e as informações compartilhadas. As estruturas devem ser voltadas para o mercado, caracterizadas pela qualidade dos sistemas de informação. O processo logístico deve ser gerenciado de forma sistêmica , pela importância na combinação da capacidade de produção com as necessidades do mercado. É importante que o processo reconheça os inter-relacionamentos e interligações da cadeia de eventos que conectam fornecedor ao cliente.

É importante entender que o impacto de uma decisão em qualquer parte do sistema causará reflexos no sistema inteiro.

Os gerentes devem identificar como finalidade principal adicionar valor ao seu negócio pelo enfoque no fluxo de materiais.

A logística tem como essência a preocupação de obter vantagem competitiva em mercados cada vez mais voláteis, sobrevivendo às empresas que conseguirem adicionar valor ao cliente em prazos cada vez menores. 

A vantagem competitiva é conseguida através de uma estratégia de serviços e um sistema de entregas bem desenvolvido esistemático. Com o ciclo de vida dos produtos cada vez menores, os usuários cada vez mais inclinados a aceitar produtos substitutos se sua primeira escolha não estiver disponível imediatamente, a cada introdução de um novo produto resulta em implicações gerenciais causadas pela redução do tempo. Comentam-se sobre a necessidade de novas formas de gerenciar o processo de desenvolvimento de novos produtos, associações de risco e da necessidade da melhoria na qualidade do retorno da informação recebida do mercado, fazendo sua ligação com o esforço de produção e distribuição da empresa. Entretanto uma das funções básicas da logística é proporcionar a "disponibilidade" e promover a integração entre o marketing e o planejamento de fabricação.

Dos problemas estratégicos que as empresas enfrentam hoje, decorrente da mudança no conteúdo competitivo das organizações o mais desafiante talvez seja o da logística. Que deverá enfrentar tais desafios:

·Explosão do serviço ao cliente

·Compressão do tempo

·Globalização da indústria

·Integração organizacional

Explosão do Serviço ao cliente

Concluindo, para obtenção de uma vantagem competitiva duradoura, é necessária uma abordagem nova e diferente para o gerenciamento dos prazos.

A tendência global é mais um desafio para o gerenciamento logístico. As empresas que atendem ao mercado mundial não podem ser simplesmente uma multinacional e sim uma empresa global, considerando que ela atenderá a diferentes mercados com necessidades e características culturais próprias.

Em função disto é necessário que as empresas desenvolvam uma estratégia de fabricação flexível e processo logístico eficiente. O modelo da organização clássica - a empresa baseada em divisões funcionais e hierárquicas rigorosas - dificulta a obtenção de um fluxo de materiais completamente integrado e voltado para o cliente.

Os desafios enfrentados pelas empresas mudaram, atualmente para alcançar a posição de vantagem competitiva contínua, as organizações precisam se basear num sistema de gerenciamento integrado voltado para o mercado, e pessoas que valorizam os serviços.

Serão valorizados os profissionais generalistas, capazes de integrar o gerenciamento de materiais com o gerenciamento de operações e entrega. Eles serão orientados pelo mercado, tendo como fonte de vantagem competitiva, os serviços ao cliente.

 

Embora tradicionalmente a Administração da Produção tivesse como objetivo de estudo os setores produtivos das empresas industriais, atualmente muitas das suas técnicas vêm sendo aplicadas em atividades de serviços como bancos, escolas, hospitais, etc.
Formalmente, segundo diz o autor Daniel Moreira, a Administração da Produção e Operações é o estudo de técnicas e conceitos aplicáveis à tomada de decisões nas funções de produção (empresas industriais) e operações (empresas de serviços).
Os conceitos e técnicas que fazem parte do objetivo da Administração da Produção dizem respeito às funções administrativas clássicas (planejamento, organização, direção e controle) aplicadas às atividades envolvidas com a produção física de um produto ou à prestação de um serviço.
A Revolução industrial dos séculos XVIII e XIX preparou o caminho para a moderna Administração da Produção e Operações, mas foi mesmo com os grandes avanços que se deram no século XX particularmente nos Estados Unidos que as técnicas e instrumentos de gestão da produção se difundiram por inúmeros países.
Durante a década de 70, a Administração da Produção adquiriu nos Estados Unidos e a nível mundial, uma posição de destaque na moderna empresa industrial. Os fatos históricos que levaram a essa posição foram o declínio norte americano em termos de produtividade industrial e no comércio mundial de manufaturas, e o crescimento de algumas potências nesses aspectos como o Japão, que há mais de 30 anos vem encarando a produção industrial e a geração de novos produtos como os elementos-chave no mercado interno e a nível internacional.
Ao longo desse processo de modernização da produção, a figura do consumidor tem sido o foco principal, pois é a procura da satisfação do consumidor que tem levado as empresas a se atualizarem com novas técnicas de produção cada vez mais eficazes, eficientes e de alta produtividade
A tecnologia da informação, os recursos tecnológicos materiais e os serviços oferecidos para o processo logístico estão evoluindo constantemente e desta forma as empresas podem fazer as suas escolhas, diante de diversas opções, tanto de software como de equipamentos, indo à busca daquilo que mais se adéqua às suas necessidades. É possível reconhecer que a emergência das regras de logística que envolve novas estratégias de manufatura e estruturas organizacionais surge como resposta às novas pressões competitivas. A logística empresarial atua diretamente em dois aspectos fundamentais no que se refere à competitividade empresarial:

− Redução do custo Total de Produção (beneficiando o setor produtivo, por meio de melhorias funcionais na área).

− Maior flexibilidade no sistema logístico, contribui para a fidelização e captação de novos clientes. (por meio de uma visão mais ampla do campo de atuação do conceito logístico).

As alterações no ambiente competitivo requisitam um realinhamento das regras logísticas, e a presente pesquisa através dos estudos de casos, demonstraram a importância da visualização da logística empresarial num âmbito maior, isto é, interpretar as funcionalidades das atividades logísticas direcionadas às estratégias da organização.

Apesar de todo avanço na área logística, nota-se que ainda existem grandes melhorias por vir, melhorias estas que beneficiarão as organizações e a sociedade como um todo.

            Dentre estes recursos disponíveis no mercado podem-se citar diversos, os quais abrangerão as necessidades de todos os tipos de usuários como:

Consultoria e treinamento (Assessoria, projetos, palestras e eventos);

Recursos de movimentação e armazenagem (Balanças, revestimentos de pisos, demarcações, faixas, portas especiais, cortinas, escadas, rampas, produtos de segurança, alimentadores, redutores e imóveis);

Estruturas de estocagem (Armazéns, galpões, reservatórios, tanques, silos mezaninos, pontes rolantes, transelevadores, armários modulares, gaveteiros, carrosséis verticais e horizontais e sistemas de estocagem).

Serviços de logística (Operadores logísticos), armadores, desembaraço aduaneiro, terminais diversos, armazéns gerais, motoboys, distribuição física, transportes marítimos, aéreo, ferroviário, rodoviário, terceirização de mão de obra para movimentação, gestão de embalagens retornáveis, seguros e escoltas de cargas;

Identificação e automação industrial e comercial (Código de barras (etiquetas impressoras, coletores, scanners, terminais de radiofrequência, software), softwares (WMS, estoque, ERP, MRP, SCM, de simulação, sistemas logísticos e otimização de cargas, de transporte e frota, rastreadores);

Transportadores contínuos (correias, correntes, canecas, elevadores, assessórios para transportadores contínuos, carregadores, transportadores diversos);

Embalagens, recipientes e utilizadores (Racks, caçambas, paletes e acessórios, estrados, caixas engradados, aplicadores diversos, cantoneiras para reforço de embalagens, estabilizadores de caixas, embalagens (impressoras, máquinas para fechamento, separadores)).

Veículos e máquinas industriais (Empilhadeiras, carrinhos, carretas, caminhões, carros elétricos, escavadeiras, guindastes, pás-carregadeiras, retroescavadeiras, guinchos, rebocadores, tratores).

A combinação desses aplicativos conduz para a otimização do sistema logístico e melhora o processo de gestão integrada dos diversos componentes, ou seja, estoques, armazenagem, transporte, processamento de pedidos, compras e manufatura.  

Referências Bibliográficas

http://artigos.netsaber.com.br/resumo_artigo_21944/artigo_sobre_log%C3%8Dstica_e_a_estrategia_competitiva

http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2003_TR0112_0375.pdf

eco.unne.edu.ar/contabilidad/costos/VIIIcongreso/298.doc
http://www.administradores.com.br/membro…












http://www.pg.utfpr.edu.br/dirppg/ppgep/dissertacoes/arquivos/141/Dissertacao.pdf

http://www.revistafarn.inf.br/revistafarn/index. php/revistafarn/article/viewFile/1/148

http://www.conhecer.org.br/enciclop/2011a/sociais/logistica.pdf

http://www.salesianolins.br/areaacademica/materiais/posgraduacao/MBA_em_Gestao_Empresarial-2009/Apostila%20LINS%20-%20MBA%20Turma%203%20-%20Log%EDstica.pdf

http://www.transportabrasil.com.br/2010/03/a-logistica-atual-ferramenta-de-eficiencia-e-lucros/

fesppr.br/.../Gerenciamento%20da%20cadeia%20de%20suprimentos....

http://www.revista.inf.br/adm09/pages/artigos/ADM-edic09-anov-art05.pdf

http://resumos.netsaber.com.br/ver_resumo_c_3140.html

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAUvkAI/cadeia-suprimentos

http://www.unisantos.br/mestrado/gestao/egesta/artigos/41.pdf

http://www.administradores.com.br/aperfeicoamento/livros/logistica-na-cadeia-de-suprimentos-uma-perspectiva-gerencial/166/


http://pt.shvoong.com/books/139509-log%C3%ADstica-gerenciamento-da-cadeia-abastecimento/